4109-1052 | 98067-6144 contato@spadomicro.com.br
Como escolher notebook em 2017: Não passe raiva

Como escolher notebook em 2017: Não passe raiva

Confuso sobre como escolher notebook? Há uma grande variedade de tamanhos, recursos e preços, que podem dificultar a escolha do note certo. Com um custo acima de mil reais, não dá pra escolher um modelo e se arrepender depois. Comece sua busca no lugar certo: confira nossas dicas e descubra como escolher o notebook certo para você!

Cuidado com notebook barato

Muitas vezes pensamos com o bolso, sim eu sei. Tome cuidado com isso, pois no fim você pode acabar comprando um notebook que não vá atender suas expectativas. Pense comigo: você não compra notebook todo ano. Outra coisa: os softwares vão evoluindo, e demandando mais processamento, mais máquina. O que quero dizer é que se você gastar investir um pouco mais agora, vai ficar mais tempo sem precisar trocar seu laptop, ou seja, tem uma economia de longo prazo. Considerando que os preços só aumentam, é uma boa escolha adiar a compra de outro notebook o máximo possível. 

Como escolher notebook em 2017

São muitos elementos que você deve levar em conta na hora de comprar seu notebook. Separamos os 8 mais importantes, aqueles que você deve considerar na hora de escolher o seu notebook. Pegue sua pipoca e boa leitura!

Antes de tudo: Defina sua necessidade

A primeira coisa que você deve considerar antes de sair procurando nos sites é qual o objetivoda compra desse notebook. Como você vai usa-lo? qual a finalidade?

Essa decisão é extremamente importante, pois cada necessidade vai exigir um desempenho diferente do seu notebook. Por exemplo: para o dia a dia de estudos e trabalho, um modelo mais básico resolve. Mas se você está em busca de um notebook para jogar, assistir filmes ou trabalhar com softwares gráficos (Photoshop, CorelDraw, Illustrator, etc) uma configuração com mais performance vai fazer diferença.

Defina a plataforma (Windows, Linux, Mac ou Chrome OS)

A maioria dos laptops vem com um desses sistemas operacionais: Windows, Linux, Chrome OS ou Mac OS X (apenas para MacBooks). Fazer a escolha certa entre eles não é tão simples, principalmente se você não estiver familiarizado com Macs e PCs. Além disso, cada plataforma tem seus próprios softwares, e eles não são compatíveis entre si. Por isso, vamos dar uma visão geral dos pontos fortes e fracos de cada plataforma para te ajudar.

Windows 10: Este é o sistema operacional mais popular dentre os apresentados, e está na maioria dos modelos que você vê nas lojas. É bastante flexível, e tem uma infinidade de softwares. A versão mais recente é o Windows 10, que possui muitos recursos interessantes como a Cortana, uma assistente pessoal que consegue responder perguntas em linguagem natural. Para a grande maioria dos casos, o Windows é o sistema operacional mais adequado.

Linux: É um sistema operacional livre, com funcionalidades semelhantes aos do Windows. Existem diferentes distribuições de Linux, sendo a Ubuntu uma das mais conhecidas. Também tem uma interface bastante amigável, flexível e possui uma ampla gama de aplicações. Poucosmodelos estão vindo com Linux de fabrica. É bastante usada por programadores.

MacOS: Todos os MacBooks (modelos da Apple) vêm com o MacOS, cuja última versão é a  Sierra. No geral, o sistema operacional oferece funcionalidade similar ao Windows 10, mas com um visual diferente (por exemplo, o menu iniciar dele é uma barra na parte de baixo da tela ).  O Sierra também tem uma assistente pessoal, a Siri. Os modelos com MacOS possuem como destaque o desempenho, e são muito usados por editores gráficos, editores de áudio/vídeo e programadores.

Chrome OS: Encontrado nos “chromebooks“, esse sistema operacional foi criado pelo Google. É simples e seguro, mas limitado (por isso são mais baratos). Na tela, se parece muito com o Windows, mas o aplicativo principal que você usa é o navegador Chrome. Para quem precisa apenas ver e-mail, atualizar sites e redes sociais, etc, o Chromebook resolve. A principal desvantagem é que, como ele é basicamente um navegador de internet, muitos dos aplicativos que você usa são online, ou seja, é bom ter um wifi por perto.

Que tal um 2 em 1?

Com a evolução e redução dos componentes eletrônicos, temos atualmente muitos dispositivos portáteis que estão na categoria de “2 em 1“. Esses notebooks híbridos podem ser usados como um notebook tradicional de mesa, ou como um tablet. São dois estilos principais de 2 em 1: Tem os que separam as telas totalmente do teclado, tornando-se duas partes separadas; e tem os que flexionam a tela com dobradiças que giram para trás até 360 graus. Mais uma vez: A escolha entre um modelo e outro vai depender do uso. O 2 em 1 com tela destacável pode ser mais polivalente se você é um vendedor de rua, se você precisa de mobilidade, se o seu filhinho só acalma quando tem um tablet nas mãos. Uma tela que gira vai ajudar a apresentar produtos em reuniões, a expor fotos na bancada de um evento, a passar fotos em slide, etc.

Uma última dica: Se você decidir por um 2 em 1, observe que os modelos que flexionam a telanormalmente têm bateria com duração mais longa do que aqueles com telas destacáveis.

Escolha o tamanho certo

Ainda antes de prestar atenção nos preços, é bom avaliar qual é o melhor tamanho de laptop para você.  Quem usa ou já usou notebook deve ter uma noção melhor das dimensões, e fica mais fácil de fazer essa escolha. O tamanho dos notebooks variam de acordo com as medidas da tela:

  • 11 a 12 polegadas: Os notebooks mais finos e mais leves ao tem telas de 11 a 12 polegadas e normalmente pesam 2,5 a 3,5 quilos.
  • 13 a 14 polegadas: Fornece o melhor equilíbrio de portabilidade e usabilidade, especialmente se você escolher um laptop que pesa menos de 4 quilos.
  • 15 polegadas: O tamanho mais comum de se encontrar. Esses laptops geralmente pesam 4,5 a 6,5 quilos. Considere este tamanho se você quiser uma tela maior e você não está planejando carregar seu notebook por aí.
  • 17 a 18 polegadas: Se o seu laptop ficar em sua mesa sempre, um modelo de 17 ou 18 polegadas é o que você precisa para jogar ou ter uma produtividade nível PC de mesaestação de trabalho.

Viu né? Se você vai carregar seu notebook pra cima e pra baixo, recomendamos a tela menor. Acredite, carregar 2kg pode ser tranquilo no começo do expediente, mas no fim do dia esse peso vai parecer muito, muito maior. Mas se você vai trabalhar com gráficos ou jogar (e mobilidade não for requisito), prefira a maior tela que seu dinheiro possa comprar.

Sinta o teclado e touchpad

As especificações mais impressionantes do mundo não significam nadinha se o laptop que você está comprando para não tiver uma boa ergonomia. Se você planeja trabalhar muito com seu notebook, certifique-se de que o teclado oferece feedback tátil e espaço suficiente entre as teclas. Prefira um notebook que tenha touchpad preciso, com opções de gestos multitouch, como a “pinça” com os dedos que dá zoom.

Esse tipo de coisa não dá pra avaliar em loja virtual. Quando estiver passeando no shopping, aproveite para dar uma tateada nos modelos de notebooks que estão nos expositores e sinta a diferença entre eles.

Fique de olho nas especificações

Até quem lida com informática constantemente pode ficar confuso com tantas informações sobre os componentes do notebook, como processador, disco rígido, memória RAM e chip de gráficos. Fique sussa se aquela sopa de siglas causa náuseas tontura em você.

Mas então, como escolher notebook? Estes são os principais itens que você deve prestar atenção na hora da escolha:

  • CPU: O “cérebro” do seu computador, o processador tem uma enorme influência no desempenho, mas dependendo do que você quer fazer, até o mais barato pode dar conta do recado. Prefira os modelos Core i3, i5 ou i7. Se você for engenheiro, trabalhar com modelagem 3D ou edição de vídeo, invista nos Xeon. Caso não queira passar raiva, fuja, veja bem, FUJA dos Atom, Celeron e Pentium.
  • RAM: A memória RAM é importante porque ajuda o processador a realizar várias tarefas ao mesmo tempo. Alguns notebooks vêm com apenas 2GB de RAM, mas é bom você ter pelo menos 4GB para não passar raiva. Se couber no orçamento, prefira os de 8GB, e mais do que isso é um exagero para a maioria dos usuários. Se você acha que pode precisar de mais memória posteriormente, escolha um modelo que permita expandir a RAM.
  • Drive de armazenamento (ou HD): Tão importante quanto a velocidade de sua CPU é o desempenho de sua unidade de armazenamento. No HD é onde você vai guardar seus arquivos. Aqui tem uma decisão estratégica: Se você não for precisar de muito armazenamento, escolha um HD do tipo SSD, que vai deixar seu laptop até 3x mais rápido – só que é mais caro.  O HD tradicional é mais barato, e normalmente oferece mais espaço(normalmente 1 terabyte).
  • Tela: Quanto mais pixels você tem, mais conteúdo você pode colocar na tela, e mais nítida a imagem vai ficar. A maioria dos laptops tem resolução de 1366×768, mas se você puder pagar, compre um com resolução 1920×1080 (também conhecido como full HD ou 1080p). Alguns portáteis tem telas de 2560×1600, 3200×1800 ou mesmo 3840×2160 com uma imagem de encher os olhos, mas que sugam uma bateria danada.
  • Tela touch: Se você pretende comprar um laptop de mesa normal, ao invés do 2 em 1, você não vai sentir muita diferença de ter uma tela sensível ao toque. Essas telas podem reduzirde 1 a 3 horas o tempo de bateria. Em compensação, nos 2 em 1, as telas sensíveis ao toque vêm por padrão.
  • Chip de vídeo: Se você não estiver jogando, criando coisas 3D ou fazendo edição de vídeo em alta resolução, um chip gráfico integrado (que compartilha memória do sistema) é suficiente. Mas… se você tiver alguma das necessidades acima, um processador gráfico AMD ou Nvidia é essencial.
  • Drive de DVD / Blu-ray: Poucos laptops ainda estão vindo com leitores ópticos, porque já inventaram o download e o pendrive. Mas se no seu trabalho é muito necessário ter um leitor de DVD, não tenha medo de escolher um modelo sem o drive, porque depois você pode comprar um leitor externo, que conecta via USB.

Veja a duração da bateria

Caso esteja comprando um notebook para usar fixo numa mesa sempre ao lado de uma tomada, a autonomia da bateria não é um requisito tão importante. Mas é um notebook né? A gente quer aproveitar a mobilidade que ele oferece. Por isso, se você planeja carregar o laptop pra cima e pra baixo, mesmo que seja em casa e/ou trabalho, é bom ter pelo menos 6 horas de resistência, sendo o ideal umas 8 horas ou mais. Ah, importante: Não confie no tempo de bateria que as fabricantes dizem. Prefira acreditar no que outras pessoas que já compraramesse modelo de notebook estão dizendo em fóruns e avaliações nos sites de compra.

Sim, a marca conta

Preste atenção: Seu laptop é tão bom quanto a empresa que está por trás dele. A preocupação com design, qualidade dos componentes do notebook, e atendimento ao cliente são fatores que devem fazer a diferença na hora da escolha. Converse com amigos, leia as recomendações,  avaliações e comentários de outros consumidores nas lojas virtuais, veja em sites de reclamações… enfim, saiba como os clientes estão avaliando a empresa e seus produtos.

Garantia e suporte

Esse item a gente normalmente só se atenta quando tudo já deu errado. A atenção que a empresa dá aos clientes é um fator que deve ser avaliado antes da compra. A empresa fornece informações sobre o produto? O site traz o manual e os drivers atualizados para o notebook que eu quero? Em português ou só em inglês? Como funciona o suporte? Tem assistência técnica local em minha cidade, ou vou ter que enviar o produto para a fábrica em caso de problema?

Quer aprender a consertar celulares e tablets?

AULA GRÁTIS! Junte-se a mais de 15.000 pessoas satisfeitas e conheça nosso curso.>

Vale a pena comprar um MacBook usado? Veja prós e contras

Vale a pena comprar um MacBook usado? Veja prós e contras

Os MacBooks são os notebooks mais valorizados no mercado, com quedas de preço bem menores quando comparados à concorrência. Mesmo usados, os computados com OS X X têm a vantagem do apelo da marca Apple e encaram o controle de logística da companhia: dificilmente você encontrará promoções de queima de estoque de Macs.

Mas, vale a pena investir em um MacBook usado, mesmo que custe o preço de um notebook novo com Windows? Confira os prós e contras antes de decidir.

Série MacBook pro terá três novos modelos (Foto: Divulgação) (Foto: Série MacBook pro terá três novos modelos (Foto: Divulgação))Confira as vantagens e desvantagens de comprar um MacBook usado (Foto: Divulgação/Apple)

PRÓS

Design e acabamento

A Apple é reconhecida pela sua atenção ao design, e isso é claro na construção dos Macbooks. O acabamento é todo em liga de magnésio e alumínio, em um corpo feito, praticamente, de duas peças perfeitamente esculpidas. Uma vez que você usa um Mac, dificilmente se contentará com a maioria dos PCs com plástico que a concorrência oferece.

Macbooks se destacam pelo design refinado e pela qualidade do material usado na construção (Foto: Divulgação)MacBooks se destacam pelo design refinado e qualidade do material (Foto: Divulgação/Apple)

A alta qualidade é vista nos mínimos detalhes, como no LED indicador de bateria na lateral, no cabo MagSafe e na a logo acesa da Apple na traseira.

Se você escolher um MacBook Air usado, é possível ainda aproveitar suas dimensões pequenas e sua leveza, quando comparado a modelos com Windows lançados no mesmo ano. Um MacBook Air de 11 polegadas cabe em uma bolsa feminina comum e é suficiente para a maioria das tarefas do dia a dia sem comprometer a portabilidade.

Teclado e trackpad

Macbooks têm sempre trackpads muito bons (Foto: Divulgação)MacBooks têm sempre trackpads muito bons (Foto: Divulgação/Apple)

Em geral, é difícil encontrar trackpads de qualidade em notebooks com Windows, algo que prejudica muito o uso do computador se você não tiver um mouse disponível. Mas, esse, definitivamente, não é um problema para Macbooks.

Os computadores têm trackpads de vidro multitoque com ótima sensibilidade. Além disso, MacBooks trazem teclado retroiluminado, recurso presente em uma parcela pequena de computadores com Windows. Com isso, você tem a garantia de que poderá usar seu notebook no escuro sem problemas para digitar.

Desempenho

O desempenho do Mac é acima da média, especialmente para apps de música e edição de imagem e vídeo (Foto: Divulgação)O desempenho do Mac é acima da média, especialmente para apps de música e edição (Foto: Divulgação/Apple)

Um Mac antigo pode não trazer processadores recentes ou muita memória RAM, mas, mesmo assim, é capaz de rodar programas com leveza. O OS X é um sistema operacional extremamente otimizado, e que prioriza animações na hora de abrir apps.

A experiência de uso que resulta dessa característica é muito rica, especialmente se você levar em conta a facilidade de operação que oferece: ações simples, como remover ou instalar um app novo, são mais fáceis de realizar do que no Windows.

Os MacBooks Air, de 11 ou 13 polegadas, oferecem uma vantagem extra: iniciam e saem da hibernação muito mais rápido do que os outros. Isso sem falar na duração da bateria, que pode durar até 12 horas de navegação no Safari. A performance pode ser vista em PCs com Windows, mas em modelos mais novos com o chip Skylake, que podem sair caros demais.

Além disso, MacBooks são indicados para quem trabalha com som, imagem ou vídeo, seja porque possuem placas de som melhores ou porque os programas usados nele são mais eficientes e menos propensos a falhas.

CONTRAS

Assistência técnica

É difícil comprar um Macbook usado com Apple Care válida (Foto: Divulgação)

Uma das principais vantagens de se comprar um Macbook novo é o Apple Care, programa de assistência da Apple que resolve seus problemas em caso de defeito. Ao adquirir um Mac usado, dificilmente você ainda poderá usar a garantia de fábrica, a não ser que o dono tenha adquirido extensão ou esteja vendendo um computador com pouquíssimo tempo de uso.

Se você não tiver sorte com a compra de um Mac com Apple Care válido, restará lançar mão de assistências autorizadas que podem cobrar caro demais caso haja falha nos componentes. Por isso, vale ter muita atenção na hora de compra, que deve ser feita, de preferência, de alguém confiável. Afinal, consertar um Macbook pode sair mais caro do que comprar um bom PC com Windows.

Requer novos programas

Você precisará de novos programas para tudo (Foto: Divulgação)Você precisará de novos programas para tudo (Foto: Divulgação)

Como Macs rodam um sistema operacional completamente diferente, os programas do seu computador Windows podem não rodar no PC da Apple. O problema foi diminuído recentemente com soluções na nuvem da Adobe e Microsoft, mas permanecem se você tiver uma licença do Photoshop CS6, por exemplo.

No caso de apps gratuitos, você não deverá ter problema com a maioria, pois os grandes desenvolvedores costumam lançar versão também para Mac. Você pode ter dor de cabeça se gostar de jogar no computador, pois a maioria dos títulos são feitos apenas para Windows, mas o restante pode ser perfeitamente otimizado com uma pesquisa na Mac App Store.

Preço

Para ter a experiência de um Mac, é preciso pagar caro mesmo por um usado (Foto: Divulgação)

A Apple cobra caro e isso não é novidade para ninguém. Com a alta do dólar, há quem venda um Macbook de 13 polegadas fabricado em 2013 por cerca de R$ 4 mil, ou um modelo de 2010, com o antigo processador Core 2 Duo, por R$ 1.500.

Se você estiver em busca de um Macbook Pro, deverá desembolsar em torno de R$ 2 mil por uma versão de 2010 ou 2011, ou entre R$ 4 mil e R$ 5 mil por algo mais recente, a partir de 2013.

Em muitos casos, o valor investido em um Macbook usado é suficiente para comprar um PC Windows novo e até com placa de vídeo dedicada para rodar jogos. É possível investir também, com o mesmo dinheiro, em um modelo com tela touch e processador mais novo, que pode garantir uma longevidade maior, e ainda com garantia.

No final, comprar um Mac, mesmo usado, continua significando pagar um preço premium para usufruir do design e do que o OS X tem a oferecer.